quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Cotidiano Escolar - ou - Aprendizado, Domínio e Maturação: O Processo Levado às Últimas Consequências. Oh Yeah. (Segunda Parte: Final)

-Continuação de http://somesentido.blogspot.com/2009/09/
cotidiano-escolar-ou-aprendizado.html



Naquele fim de semana.

Heoutogi vai até a casa da professora.

-Ola, querida professora! Toma, flores para a senhorita.
-Ah, obrigada, Heoutogi. Vamos para o meu quarto.

Eles iniciam o Processo.

17 minutos depois eles terminam o Processo.

-Poxa, Heoutogi, realmente, estou impressionada! Que desempenho... Você realmente está dominando o Processo.
-Obrigado. Eu treinei com a minha mãe.
-Muito bem! Gostei da sua iniciativa, afinal de contas, isso é papel dos pais mesmo.

Escola.

Semana seguinte.

-Heoutogi, - diz Carloto - tá rolando uma fofoca de que você domina o Processo todo muito bem. Isso é verdade?
-Sim, acho que é, pelo menos de acordo com o que a professora diz.
-É que o Corea ta dizendo pra todo mundo que ele domina o Processo bem melhor do que você.
-Ah, é? Bom, deixa ele dizer, eu sei que deve ser mentira.

Corea aparece.

-Então, Heoutogi, agora ta achando que é o rei do Processo, não é? Pois eu o desafio para um duelo. Vamos realizar o Processo em público e juízes irão decidir quem é o melhor.
-Eu não acho que seja o rei do Processo, mas se você quer tanto me confrontar, por mim pode ser.

Um mês depois. No dia do confronto processual.

Anacaram, o maior estádio do país, está lotado. Muitos chefes de estado estão presentes. Redes de televisão cobrem o evento, além de haver transmissão ao vivo pela internet. O presidente do país mais poderoso do mundo, Qwerty, e o líder espiritual Poiuytre, discursam antes do início do confronto. Eles falam sobre como esse confronto é importante para o mundo e para as religiões, que ele irá ajudar a unir os homens e suas crenças.

Depois disso, o grande cantor do pop, Djembe Bakurli, que ficou famoso por mudar de cor e por não ter sexo, canta uma linda canção composta especialmente para a ocasião. A letra diz:


"Oh, sim, olha só
Eu sou o melhor, e você é uma bosta
Eu humilho você em público e você chora de emoção, me agradecendo.
Quando eu mato os animais da floresta, sou um artista
Quando roubo o doce da criancinha, sou um cara legal
Quando soco a tua cara, sou sensual
E você não é nada, não adianta nem tentar
Quando faço amor com sua avó,
ela diz que acha você uma pessoa boa
Mas eu digo mais; você não é uma pessoa boa:
Você NÃO é uma pessoa.
(Refrão)
Oh, sim, Oh, não,
sai da frente que eu estou com pressa de chegar no trabalho.
Ontem eu assisti televisão e eu vi a tua cara feia,
então realizei o Processo.
Não há nada neste mundo que me deixe feliz como bala de caramelo.
Ahhhhhhhhhhh!!!!!!! Que legal!!!!!! OH YEAH!!!!!! DRUQI DRUQI PAN"

O público vai ao delírio; canta e balança junto com Djembe Bakurli, imitando suas danças que mexem com a libido e com a cintura.

Então as luzes se apagam e os holofotes iluminam o grande ringue central. Heoutogi e Corea sobem no ringue para que a disputa seja iniciada. O juiz chama ao palco os Objetos que serão utilizados para a realização do Processo. 15 Objetos femininos para cada participante.

Os critérios de julgamento da cópula serão: Qualidade da Cópula, Velocidade, Humor, Bondade, Inteligência Sexual, Cor, Credo, Afinação Vocal, Estilo, Poder de Compra, Beleza Física, Penteado, Raça, Nome Mais Bonito, Melhor Atuação, Melhor Cheiro e Órgão Sexual Mais Bonito.

O juiz apita o início.

Cada participante pega um objeto feminio e inicia a cópula. O público aplaude e se emociona. Pelos próximos 50 minutos, o mundo se deleita com as mais belas imagens sexuais já vistas. Posições magníficas, falas poéticas, jogo de cintura e espírito esportivo, de ambas as partes.

-Heoutogi, você é muito ruim. Eu sou o melhor do mundo.
-Não, Corea, você é muito ruim. Eu sou o melhor do mundo.

Quando terminam a última cópula, os participantes estão empatados em 135.378 pontos cada. Então, seguindo as regras, o juiz convida ao grande ringue central Djembe Bakurli, que, por não ter sexo, irá oferecer um grande desafio na hora do Processo final.

-Quem quer copular primeiro com o Djembe? - pergunta o juiz Maria Pimba.
-Eu - responde Corea.
-Gostaria de lembrar que este último Ato vale apenas 1 ponto. Ok?
-Sim.
-Hum, Sim.

Corea passa 15 minutos estudando a figura de Djembe, pensando como irá copular com alguém que não tem sexo.

Ele tenta de várias maneiras mas não consegue. E desiste.

-Quero ver o que você pode fazer.

Heoutogi estuda o corpo de Dejmbe por alguns minutos e pensa: "Se ele não tem sexo, não posso fazer sexo com o seu corpo. Logo, terei de fazer sexo com sua alma."

-Desculpe, Djembe, mas é por uma boa causa... bom, boa pelo menos pra mim.

Heoutogi mata Djembe com um tiro. Isso, na verdade, é permitido pelas regras do jogo: "Assassinar o objeto de cópula". Apenas poucas situações copulais se beneficiam deste ato, e esta é uma delas.

Então, utilizando técnicas especiais desenvolvidas por ele mesmo, Heoutogi faz com que o espírito de seu pênis saia de seu corpo. E com uma técnica que leu em um blog de culinária, fez com que os espiritos de Djembe e de seu pênis se materializassem aos olhos do público.

No momento em que a alma de Djembe é penetrada, o público explode de emoção.
Heoutogi, já com o seu espírito peniano de volta ao lar, é carregado como um grande heroi.

E para mostrar ao mundo como ele é forte, e o quão fraco é Corea, ele ordena que seus seguidores estraçalhem Corea sem piedade, que eles arranquem seus braços e pernas.
Heoutogi chuta e pisa o corpo ensanguentado de Corea enquanto seus seguidores fazem o mesmo, até que Corea fique desfigurado.

E então todos gritam:

-Viva Heoutogi! O forte que não perdoa os fracos!

20 comentários:

Gabriela M. disse...

hahahaha.
Mas você não existem mesmo... até um MJ indiano você colocou no texto...

mas o meu maior problema com seus textos ainda são os nomes: parece que você fechou os olhos e bateu nas teclas sem ordem nenhuma....

bj bj Rafael.

♥ Mαrcellα L. disse...

Santo Deus...

O menininho com nome estranho que começa com H treinou bastante antes...se beneficiou.

Bj Bj // obg por ter visitado

Marilena' disse...

adorei :p

T@CITO/XANADU disse...

O que doeu
Não foi o massacre de Corea,
(Guio-me pela razão)
Mas o que vale a pena não se alcança às vezes,
Confundiu-se todo o processo em detrimento
da competição. Mas, afinal o povo precisa...De pão e circo(?)
Muito Bom!
Tácito

Katrina disse...

Os fracos também perdoam os fortes?

Henrique Miné disse...

ja assustando menininhasinocentes como a Marcela ali é?
haha.

Como disse na primeira parte, é estranho como não parece tão absurdo assim.
Sempre digo que, como vivemos em uma sociedade que fura destroe montanhas para conseguir dinheiro (um absurdo e desrespeito imenso ao meu ver) nada mais me supreende.

Nem crianças se matando e transando em público.

Abraços.

Natália disse...

Baah, só tu pra ter essa imaginação gigantesca. adorei. Isso que nem sou de ler textos desse tamanho. beijos

Cristiano Contreiras disse...

Legal a mistura de literatura, cotidiano e variedades por aqui, isso cativa muito. voltarei! sou seu seguidor.

Tatá R. da S. disse...

Vc me fez rir, Rafa, obrigada! x)
Ops, te chamei de Rafa, espero que não ligue. o.o
Ah, e seus textos me divertem muito. Gosto pacas.
Ps.: Tem uma proposta pra vc no meu post mais recente... Espero que curta. Eu fiz questão de te convidar pq o sua forma de escrita é peculiar, me agrada muito. Acho que vai ser bem diferente da maioria.
É isso. =*

@philipsouza disse...

tenso.....hehehehehe

mas real

Paulo Ferba disse...

Tipo... gostei!

Abraços

Márcia Amaral disse...

adorei seu blog , é dificil achar meninos por aqui, HAUFHAU, to seguindo

Aninha disse...

Nossa! Meooo q texto... dah onde vc tira tanta imaginação eim?!
Puts... sem comentários!
vc escreve mega bem!

bjinhos*/~

Aninha disse...

(Respondendo ao comentário)
Nossa! seu inverno!huahauahu

bjinhos*/~

Daniela Filipini disse...

AAHIOEAHEIOAEHIOAHEIOAHEIOAEHOAIEHO

Tatá R. da S. disse...

Ah, que bom que topou!
Estou curiosa pra saber como será.. hahahaha
É o "não convencional" msmo q espero! xD
=*

Nessa disse...

Tb achei mto parecida! Que coisa não!? O.o

Caco disse...

O homem precisa dar nomes às coisas. E essa prática sexual denominou-se incesto. Logo, reconheço isso como incesto em qualquer sociedade - mesmo que esta aceite e não veja nada demais na prática. Mas essa aceitação eu acho que não é presente em nenhuma sociedade. Eu não sei direito, mas acho que minha professora comentou isso.

Márcia Amaral disse...

GAFUAHFUAHU, ri muito com o post

Marianna disse...

pensei que ele ia mostrar ao Corea como era bom nO Processo usando o próprio Corea antes de matá-lo. hm