domingo, 28 de março de 2010

Entrando de Lado Para Evitar os Obstáculos Invertebrados

.
A framboesa estava dentro da bengala pânica
A cordilheira era ondulada na palma da minha mão
E eu caí num buraco aguado e cerimonioso
O poste, aos prantos, disse "Sou, e não vivi"
A luz elevou a essência do perfume cadavérico
Debaixo do talão de cheques estava o império perdido
O bolinho de bacalhau declarou a sua homossexualidade
Da lanterna saíram os canibais astutos
A lareira molhou toda a felicidade da areia
Eu telefonei para minha estante de sopas
Carregaram os fósforos doces através das ilhas submersas
A nacionalidade russa indagou os malabaristas de plantão
As paredes não estacionaram o ventríloquo no calombo adjacente
Das seringas foram entoadas canções alegres e de histeria
Pisei no pedaço de lambida retórica
O padre pulou do chão até o monge mórbido
O livro retardou o envelhecimento das urtigas nômades
Esmaguei tua pátria seletiva com o jambo da minha trave
Sai daqui, da nova ordem suicida, de novo estou alterando instantes

Sonhei mas nunca acordei
Do que sei, nada aprendi
Talvez seja o que nunca vou ser
De você nunca vou esquecer




------------------------------------------------
Vejam no
http://descemaisum.blogspot.com/
A Minha Bigorna
(tem até uma foto dela, é uma bela e simpática bigorna)

21 comentários:

Letícia Mariano. ღ disse...

Poxa, o bolinho de bacalhau era gay? E eu achando que tinha alguma chance... hauhauahua

No fundo, no fundo, todos nós não sabemos nada do que aprendemos. E vice-versa...

ou não! hauhauhaua

(cara de pensativa filósofa de buteco)

Jaíce Cristina disse...

Aii.. que legall. Adorei. =D

Rúvila Magalhães disse...

Achei meio maluco...
No fim você só descobre o que aprendeu quando esse aprendizado lhe é útil, no momento que lhe é útil.
beijos

Paulo Braccini disse...

Sonhei mas nunca acordei
Do que sei, nada aprendi
Talvez seja o que nunca vou ser

da vida só levamos isto mesmo ... e acho que já está de bom tamanho mesmos ... para que queremos mais?

bjux

;-)

Daninha disse...

Esse teu jeito de usar as palavras é incrivel *-*
Adorei esse final.
Beijos

Érica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Érica disse...

Nossa!!! Eu fico de ressaca depois de ler teus textos. Mas é muito massa e eu novamente "furto" uma frase para o meu msn. rsrsr

Beijos

Henrique Miné disse...

soonho, é, deve ter sido.

E de que adianta saber se ainda dorme?

Juliana Porto disse...

Dá pra virar uma música, perfeitamente!

Ouço daqui!

Um beijo, Rafa!

Rafael Only disse...

Às vezes quase chego a acreditar que algumas pessoas já estiveram, em outra ordem, em lugares em comum. Isso tudo é muito estranho, e faz um sentido e tanto.!

Mari Amorim disse...

Feliz Páscoa!
que suas esperanças sejam renovadas.
Boas energias,
Mari:)

Manú disse...

"Sonhei mas nunca acordei
Do que sei, nada aprendi
Talvez seja o que nunca vou ser
De você nunca vou esquecer"
adorei

Ray Siq disse...

Muitoo Bacana!
"do que sei, nada aprendi"
gostei rsrs

Boa Pascoa super
Beijooooo ;**

Paulo Vitor Cruz disse...

poetíssimo...

abs grande.

Tatá R. da S. disse...

Beijos.
Eu tb nunca vou te esquecer ao menos que eu sofra um acidente e tenha aminésia.

Tiago Fagner disse...

Palavras e Sentidos.

É de bom tom que um bolinho de bacalhau declare a sua homossexualidade.

Inês disse...

Quando eu to menstruada não, eu fico essa coisa auto-catastrófica. Vejo bichos dormindo sempre, mas só sorrio quando não tem sangue escorrendo de mim.
(Vontade de lamber essas suas palavras. Era pra isso mesmo?)
Um beijo!
Inês.

Juliana Oliveira disse...

Descobri na terça feira. Passei para a UFRJ!!! AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

M.F. disse...

Hahaha a sua falta de sentido é adorável. E, de qualquer forma, pra que serve sentido também? Eu tô apaixonada pelo nome do seu blog. Vou vir mais.

poetaeusou . . . disse...

*
acordaste
e aprendeste muito !
,
parabéns,
,
Saudações,
,
*

Marcella Leal disse...

"O bolinho de bacalhau declarou a sua homossexualidade."
Sabia disso desde que ele me deu um fora!

Beeijos