domingo, 13 de junho de 2010

Literatura Twitterística

.
Como o Frabrício Carpinejar lançou um livro só de textos que ele postou no Twitter, resolvi fazer uma seleção das minhas twittadas preferidas e postar aqui para os senhores. São mini-poemas, microcontos, pensamentos, coisas sem sentido, drama, tristeza, alegria,
gente morrendo, etc... Selecionei 50 textos, acabei tirando algumas coisas que gostava, se não ficaria um post grande demais (bom, acabou ficando meio grande). Pra quem ainda não sabia que tenho twitter: http://twitter.com/RafaelSperling


***


Esse é um momento muito especial, descartavelmente momentâneo, transitoriamente efêmero, rapidamente sublimático, ínfimo. Pronto, passou.



"Na minha cama está a gasolina de ontem. E a árvore esmaga a moça relativa. Quando ameixas choram, imagino sonhos de outros Novembros."


Cidades separadas, a ponte sobre as águas, os olhos daquela moça. Noutro dia ainda falo, desses sonhos de revolta, já não somos tão distantes.


Aparando a penugem do meu canhão sub-atômico, antes da sair de casa e assassinar pequenos animais, e esmagar pedras portuguesas com as mãos.


Depois de levantar voo, viu que o céu e a terra foram se afastando, um do outro, até se perderem de vista, sumindo no "horizonte".


Então caímos todos pelados em cima do grande abacate das trevas, e ele disse: "Sabe, no dia em que eu virar uma manga, teremos a paz-verde."


Foi aí que tudo ficou assim, parecendo um mamão estourado, não deu pra entender mais nada. Tentaram me convencer de comprar um ralo amarelo.


Hoje o calor esquentou os meus miolos e fez sair uma espuma verde e roxa pelas minhas orelhas. Foi uma sensação peculiar e de muito prazer.


Depois de comer a parte esquerda do cérebro da menina, parei e pensei. Olhei para o céu. Estava bonito. Então, comi o lado direito.


"AAAAHHHH, não!!!!! OOOOOHHHHHIIIIIIIAAAAAEEEEIIIIIUUUU!!!! PIAPIAPAIPAI (PEU) IuiauiuaiuaiuJegue", foi o que ele disse antes de cair morto.


E no meio do silêncio dos olhares, os dois tiveram um breve momento de comunicação. Pena que foi mal interpretada. -Tenho que ir. Até um dia.


Meu dedo anelar está dizendo como ele aprecia trufas de chocolate. E... o que? Há, e ele diz está ficando com fome. E isso o deixa violento.

A garganta está afônica, não há como negar. Foi de ficar gritando enquanto corria nu pela cidade, tentando copular com as mulheres indefesas


O exército de robôs está se aproximando. Estão apontando suas armas para cá. Poderia correr mas seria em vão. Estão disparando na minha dire


Não, por favor, não arranque a minha cabeçaaaaaaa;..dsfsjf......Olá, aqui é a pessoa que arrancou a cabeça do Rafael. Não tinha nada dentro.


É isso mas não é aquilo que é, é apenas o que não é, de forma que nunca poderia ser outra coisa sem ser o que não é, e não o que é.


"Passei a noite em claro tentando apagar o fogo de meu pênis. De manhã, já não restava mais do que 20% do meu órgão genital".


É, enquanto é bom, é bom. Depois, fica ruim.


Obalaláaaaaaaa, tchururubébaaaaaaaa, nanananão, la-la-la-la-raaaaaaaaaaaaa, oh yeah, pá-pá-pá-pá dumdumdumdummmmm...


A melhor lembrança que tenho é de quando ganhei uma bala como troco. E a pior foi quando um cara não tinha troco e teve que me dar uma bala.


Vou ao meu próprio encontro, num tempo e espaço incertos. Todas as minhas representações, quando se encontram, nada mais são: desaparecemos.


Foi aí que o assassino intergalático aterrisou na Terra, com seu canhão sub-atômico em mãos, e com a expressão mais aterrorizante disse: Oi!


Béri béri, ânoga ânoga, tringlê youuupa. Qê?


Tentando desvendar o que ainda não me dei conta; o que está sempre por perto, mas nunca aparente. Talvez sejam as coisas que não existem.


Jogando as bolinhas de gude sonolentas nas cabeças das crianças tontas e as bigornas fáceis do lado de lá do horizonte casto mais próximo.


As coisas são e as não-coisas não são.


O bom da comida é que a gente pode comê-la. É algo normal.


O chão caiu e se espatifou na minha cabeça, bem no meio do voo terrestre, rachando os céus e estraçalhando o ar da atmosfera.


O pedregulho tentou me esmagar, mas eu o soquei, fazendo com que explodisse e matasse todos a minha volta. Depois tomei sorvete e caminhei.


Mas é que... CUIDADO, uma gaivota! (E a gaivota comeu a cabeça do menino)


Quando tropecei, saí voando e derrubei os prédios infestados de formigas telepáticas, de forma que as cerejas das pocilgas mágicas morreram.


Tem uma pessoa esmagando minha cabeça. Ta doendo, bastenteeeiufesuyagofsd... Oi, aqui é o esmagador de cabeças, a cabeça do Rafael explodiu.


Gotejando nas traqueias renováveis, descemos o flanco acidentado e rumorejante dos temperamentos sondáveis, sonhando objetos orgânicos.


O meu corpo se partindo em pedaços microscópicos, voando para todos os pontos do universo, de forma que eu me torne onipresente.


Eu estava grudado no teto e não conseguia me mover, então o mestre de obras mandou derrubar o teto e descolou o concreto de minhas costas.


Arranquei os dedos de minhas mãos. Depois arranquei as pernas. E o resto do tronco. Botei tudo no liquidificador. E bati. Com leite.


O encontro dos corpos e o som que entorpece a mente, o ritmo marcado e a translação corporal perdida, em torno de tudo que os cerca.


Ele entrou dentro do pote de doce procurando uma industria bélica de anjos caídos, mas só encontrou um sala de conferências com japoneses.


Me devolva minha chaleira molenga, quero mordiscá-la e esfregar na soleira da porta enquanto promovo o campeonato de deglutição de pregos.


O crânio de Zé explodiu e destruiu a montanha Azul, os ossinhos partidos saíram voando e espatifaram outros crânios, até todos morrerem.


Na hora de comer o cérebro de um bebê, não se esqueça que a etiqueta exige que seja usada uma colher de sobremesa, e não de sopa.


Também é considerado um péssimo hábito quebrar os dedinhos dos bebês sendo consumidos; deve-se engoli-los inteiros.


Para abrir o crânio do recém nascido, utiliza-se um pequeno martelo, semelhante ao utilizado para o consumo de caranguejos.


Quando o trocador disse que deveria pagar, peguei uma garrafa de vidro e o acertei. Logo depois acertei a nuca do motorista. Matei a todos.


A vendedora de pipoca tentou me molestar, então lhe disse que existe algo chamado Direitos Humanos. Aí lhe empurrei para dentro dum forno.


Chuck Norris escreveu um poema sobre a Vida, então a Vida se modificou para se adequar aos conceitos de Chuck Norris.


A comida está na minha barriga, está sendo destruída impiedosamente, só para depois ser expulsa de uma forma podre e nojenta.


Os músicos da orquestra estavam todos tocando, felizes, quando as guilhotinas acima de suas cabeças desceram, fazendo o rolar das cabeças.


O coro canta; o som das vozes sai na velocidade da luz; me golpeia; sou lançado tão longe que ainda nem me ensinaram a falar.


Era uma vez várias pessoas, em vários lugares, fazendo várias coisas. Depois, essas coisas se resolveram e um dia as pessoas morreram. Fim.


***

Me sigam no twitter:
http://twitter.com/RafaelSperling






__________________________________________________________

Vejam no Desce Mais Um:
http://descemaisum.blogspot.com/2010/06/as-pessoas-explodem.html

"As Pessoas Explodem"

É sobre pessoas explodindo, basicamente.

*

E pra quem ainda não viu, minha entrevista pro blog Ensaios em Foco:

http://ensaiosemfoco.blogspot.com/2010/05/top-blog-em-foco-entrevista-com-rafael.html

__________________________________________________________
ATENÇÃO!
Preciso do voto de vocês!
Votem no SOMESENTIDO para o prêmio Topblog:
http://www.topblog.com.br/2010/index.php?pg=busca&c_b=113268
É fácil votar:
1-)Clique no link acima
2-)Clique no botão "votar"
3-)Coloque seu nome e e-mail (não, eles não vão te mandar spam) e confirme o voto.
4-)Quando abrir sua caixa de e-mail, valide o voto clicando no link do e-mail enviado pelo Prêmio Topblog.

É isso! Conto com o seu voto! Muito obrigado!

31 comentários:

Marcel disse...

Comecei a te seguir no Twitter.
Dei risada com o cara "que arrancou a sua cabeça".

Pérola disse...

Bom dia meu querido.
Eu já votei em ti,mas acho q ñ concretizou vou tentar de novo ok.
Beijokas.

Gabriela Petrucci disse...

Foi aí que o assassino intergalático aterrisou na Terra, com seu canhão sub-atômico em mãos, e com a expressão mais aterrorizante disse: Oi!

Me lembrou o Galinho Chicken Little.

O bom da comida é que a gente pode comê-la. É algo normal.

Isso realmente é MUITO bom! Mesmo. (gordinhatensa, oi)


Achei tudo muito a sua cara! HISUAHDIAS
Tô seguindo, no Twitter, eu digo! :P

Beijo

Paulo Braccini disse...

Super super interessantes ... todas com seu viés de aparente loucura mas q traduz de forma relevante toda a verdade q está impregnada dentro de um SER ...

bjux

;-)

Paulo Vitor Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Vitor Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
flaviadoria disse...

Tem muitas pérolas aqui, mas vou ficar com essa:

"E no meio do silêncio dos olhares, os dois tiveram um breve momento de comunicação. Pena que foi mal interpretada. -Tenho que ir. Até um dia."

Letícia Mariano. ღ disse...

Muito bons... XD (a moça esmagada pela árvore me parece familiar).


XD

Fernanda disse...

É, Chuck Norris é o melhor. *o*


Beijo :*

Fernanda disse...

É, Chuck Norris é o melhor. *o*


Beijo :*

Fernanda disse...

É, Chuck Norris é o melhor. *o*


Beijo :*

Taylorish disse...

Eae, Rafa?
Tô passando para deixar aqui um texto de um colega meu. Eu acho que ele teve um insight dos seus, porque ele não costuma escrever desse jeito. Bom, pelo menos não aparentemente.

http://qualvida.blogspot.com/2010/06/rotina-de-eduardo.html

Lembrei muito de você ao ler esse texto. Bom, até mais.

A batalha nunca acaba.

Taylorish disse...

Bom, Rafa, tô passando por aqui para deixar um texto de um amigo meu. Parece que ele teve um insight dos seus - quando eu li o texto, me lembrei imediatamente de você e vim compartilhar. O estranho é que ele não costuma escrever assim.

http://qualvida.blogspot.com/2010/06/rotina-de-eduardo.html

Até mais.

A batalha nunca acaba.

Tatá R. da S. disse...

RAFAEL!!!!!!!!! Ò.Ó
Você deveria me idolatrar... Seu blog é o único que ainda comento... Até o meu tá abandonado. D=
Mas vei, eu não li isso tudo não. Sério. Eu li alguns. Por que na verdade odeio twitter. =B
A única que valeu meus minutos aqui hoje foi: "Não, por favor, não arranque a minha cabeçaaaaaaa;..dsfsjf......Olá, aqui é a pessoa que arrancou a cabeça do Rafael. Não tinha nada dentro.". Por que realmente, não há.
<3

Tiago Fagner disse...

hahahaha
tem muitas perólas mesmo em muita coisa abusurda tb. :P
Você curte mesmo, explosões (principalmente de cabeças) e cerebros não é?
Será tipo Hannibal!?

Gostei bastante de:
"As coisas são e as não-coisas não são."

Juliana Oliveira disse...

Acho o twitter meio chato para escrever coisas grandes rsrsrs, são só frases. rsrsrs
Bjooo

Adriana Karnal disse...

Rafael,
Eu não tenho twitter, prefiro blog pq os textos são mais longos...mas esses teus "mini" estão ótimos...continuam com teu humor negro ácido,rsrsrr´e esa é tua identidade de escritor.

Érica disse...

huauhahuahuahuahua
Ai Rafa, é tanta filosofia.

"Então caímos todos pelados em cima do grande abacate das trevas, e ele disse: "Sabe, no dia em que eu virar uma manga, teremos a paz-verde."

Te adoro!!!

Beijos

Henrique Miné disse...

dizem que o futuro da literatura é, se não o twitter em si, os micro-contos e tudo o mais.

Afinal, tudo começou com as graandes obras e tal, né...

Sabe, depois de ler esse seu post, fez sentido até.

Desnuda disse...

Rafael,

não ficou um post grande...Ficou muito bom! Adorei notícias de Carpinejar e amei os seus mini contos, pensamentos, etc. Obrigada.


Beijos

samy disse...

veja: se vc leu, é claro que viu a lógica retórica, sedo assim meu caro, são refelxões que me levaram a tal conclusão:
..."E... se eu me calo, tudo continua igual.
mas se eu falo, eu posso me arriscar, embora possa ser o inicio: de uma revolução!"
er... que inclusive É A SINTESE ou se quiser: A MINHA CONCLUSÃO SOBRE OQUE VC COMENTOU!

hihi ´!
é
faltar , esvaziar.... algo que nunca esteve cheio...
é então só vazio!

Dandara disse...

paz verde para um rafael sem cabeça deglutindo dedos de bebês.

fim

Milena Torres disse...

Talvez você seja tão maluco quanto eu.. usheuhseu..
só que escreve bem melhor que eu! ^^
só uma perguntinhaa.. quantos anos você tem? Oo
Beijos ;*

Manú disse...

perco a paciencia para twiitter :S

Nayara Marques disse...

Nunca me dei bem com twitter, até criei um pra mim, tempos atrás, mas tá lá abandonado, cheio de pó.

Não li tudo, mas adorei boa parte das suas twittadas, fiquei com vontade de tirar o pó do meu. rs

beijs

gabriela m. disse...

Obalaláaaaaaaa, tchururubébaaaaaaaa, nanananão, la-la-la-la-raaaaaaaaaaaaa, oh yeah, pá-pá-pá-pá dumdumdumdummmmm...




kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
a melhor!

Bia Gomes, disse...

"AAAAHHHH, não!!!!! OOOOOHHHHHIIIIIIIAAAAAEEEEIIIIIUUUU!!!! PIAPIAPAIPAI (PEU) IuiauiuaiuaiuJegue", foi o que ele disse antes de cair morto.
Super profundo ;D
#medoeadmiração-euacho.

Mari Amorim disse...

Passei para ler e desejar um excelente final de semana,
Boas energias,
Mari

Arthur Dantas disse...

fiquei imaginando o dia que isso aconteceria

deu até vontade de voltar a usar o twitter

quem sabe...

aí te sigo

Athila Goyaz disse...

Abandonei o twitter, não vejo graça, sei lá!

Mas gostei dos seus "twiits"!
abraços!

Pearl disse...

Eu nunca pensei que Twitter renderia