segunda-feira, 30 de março de 2009

Um homem chamado Homem

Havia um homem

Um homem chamado Homem



Havia um homem chamado Homem. Ele vivia em uma cidade chamada Cidade, que ficava no estado de Estado, no sudoeste de País.
-Eu amo o País.
Homem era casado com Mulher, e se amavam muito.
-Homem é o homem da minha vida.
A união de Homem e Mulher gerou um descendente, Menino. Menino era um menino muito feliz, gostava muito de brincar com seu animal de estimação, Cachorro.
Certo dia Menino pediu à Homem:
-Pai , quero ir ao Cinema.
-Que bom. O que está passando no Cinema?
-O novo filme do Diretor. "Filme"
-Me falaram muito bem desse filme.
Então Homem e Mulher resolveram sair para passear com Filho. Foram ao Shopping. Quando chegaram lá, resolveram almoçar no Restaurante.
-É um ótimo restaurante - disse Homem.
Já dentro, sentaram-se à Mesa. Chamaram o funcionário Garçom:
-Gostariamos de fazer o Pedido. O que você recomenda?
-Recomendo o Prato Grande. É delicioso.
-E para meu filho?
-Recomendo nossa última criação, o Prato Infantil; ele leva Comida e Tempero.
-Então eu vou querer um Prato Grande, ela vai querer um Prato Grande pequeno, e ele um Prato Infantil.
Depois de saírem do Restaurante, tomaram um sorvete Sorvete, e se dirigiram ao Cinema. "Filme" era uma obra-prima. Contava a História de Protagonista, um homem que se desentendia com Antagonista, pois sempre estavam lutando pelo amor de Coadjuvante. No final todos se suicidavam ingerindo altas doses de Veneno, uma substancia muito venenosa.
Mulher não conseguiu se conter:
-Estou sentindo muito a Emoção.
Na saída Menino pediu à Homem para irem na Loja de Cd's:
-Queria muito que você comprasse pra mim o novo CD da Banda. Chama-se "CD".
Foram até o local e compraram o devido produto. Menino ficou radiante:
-Obrigado! Estou sentindo muito a Emoção.
Na volta, todos resolveram escutar a obra musical adiquirida. Eram belas canções, especialmente as faixas "Primeira Faixa" e "Terceira Faixa". Como todos sentiam a Emoção muito forte neste momento, resolveram fazer a Dança, que era a moda do momento. Ela havia se popularizado através do show televisivo "Programa", no qual Apresentador sempre realizava a Dança, para a alegria de todos os telespectadores de País.
Alguns dias depois, Menino estava na Discoteca, e no momento em que DJ colocou a música "Primeira Faixa", todos começaram a fazer a Dança. Foi neste momento que Menino avistou Menina. Ele nunca havia visto uma pessoa assim. Como Menino tinha muita Timidez, continuou apenas fazendo a Dança. Até que ela foi falar com ele:
-Oi! Qual o seu nome?
-Menino. E o seu?
-Menina.
-Poxa, é um belo nome.
E Menina sorriu. Logo estavam realizando o Beijo. Mas durou pouco tempo pois Adolescente realizou a Separação:
-Se vocês realizarem o Beijo de novo, irei utilizar a Força. Menina é minha Namorada.
-Não sou mais sua Namorada. Pare de realizar a Perseguição comigo! - e se afastou.
-Fique longe de Menina - disse Adolescente.
-Eu faço O Que Quero. Assim como Menina.
Então Adolescente usou a Força e derrubou Menino no chão.
-Se encontrá-los juntos de novo, irei aplicar-lhes a Morte.
De volta na Casa, Menino relatou à Homem o ocorrido. Homem lhe instrui a aplicar a Morte em Adolescente. Apresentou-lhe à Arma:
-Se avistar Adolescente de novo, utilize a Força atravéz da Arma. Mostre que não se deve fazer isso com pessoas da família Família. Alguns dia depois, na Escola, Menino reencontrou Menina. Ficaram realizando a Conversa por um Tempo, até que Adolescente emergiu da Relva.
-Estava a observá-los. Irei utilizar a Força para provocar-lhes a Morte.
Quando Adolescente fez menção de Violência, Menino aplicou-lhe a Força. A Morte tomou conta de Adolescente. Olhando nos olhos de Menina, Menino sentiu forte o Sentimento, que foi recíproco. A Situação de Limite havia criado um Forte Laço Mútuo. E o Sentimento foi impregnado pelo Tempo:

(...)(...)(...)(...)(...)
(...) Sentimento (...)
(...)(...)(...)(...)(...)

Após um Espaço de Tempo
Não havia mais uma Menina
Havia uma Mulher
E ao seu lado

Havia um Homem

Um homem chamado Homem

10 comentários:

Taiyo Omura disse...

Maravilhoso!!!
O melhor texto que eu já li seu!
Você compôs uma narrativa poética explorando a linguagem, brilhantemente!

que começo!
que final!

Taiyo Omura disse...

o sentimento impregnado...

Mari Amorim disse...

Rafael,
aqui estou, adorei...
parabéns!
beijos
Mari

ana/gecko disse...

gostei desse raphs!
cheio das maldades!

Álvaro disse...

Caracoles!!
Sensacional!!!
Quase tive otro Deja vu

pacheco disse...

GENIAL. Sério.

synthesizerz disse...

Maneiríssimo. Parabéns.
A idéia do surgimento do Sentimento pelo acontecimento limite e sua fixação pelo Tempo são muito interessantes.
Mais interessante é tudo formar um ciclo infindável de Sentimento, Interesse e Violência, não é? haha

Abraços

luisa disse...

.

Meio Marxista, meio Shakespeariano.

Embora já tenha ouvido essa história muitas vezes, fiquei surpresa com seu desfecho e o resultado escrito. Muito bom.

Lara :) disse...

hahahahahahaa muito bom! Vc é muito criativo! :D

Talvez no mundo de hoje estejamos meio generalizados assim como o Homem, a Mulher...
"Somos todos iguais"

Adorei mesmo!

Athila Goyaz disse...

Muito bom esse seu tb!