quarta-feira, 15 de julho de 2009

Amores Efêmeros 3

A pedidos, escrevi mais um texto para que a série "Amores Efêmeros" se tornasse uma trilogia.
As histórias dos 3 textos são independentes, não é preciso ler a primeira para ler a segunda, nem a segunda para ler a terceira, nem a terceira para ler a quarta, até por que a quarta história não existe (pelo menos ainda).
Aqui vão os links para as outras duas:
http://somesentido.blogspot.com/2009/05/amores-efemeros.html
http://somesentido.blogspot.com/2009/06/amores-efemeros-2.html


.



Karício morava no Rio das Águas de Março, uma cidade que abrigava o maior estádio de futebol do mundo, o Macarenã. Ele adorava futebol. Sempre que podia (ou mesmo quando não podia) ia assistir aos jogos da temporada.

Certo dia, depois de um belo gol do atacante Gagá, ele urrou de felicidade e abraçou a pessoa que estava ao seu lado. Quando se deu conta, viu que era uma bela mulher, Ralência, sua futura esposa. Ralência o proibiu de continuar indo a jogos de futebol, para evitar que abraçasse outras mulheres por lá. Como Karício a amava mais que futebol, não se importou.

A união de Karício e Ralência deu origem Tíbio. Um belo bebê. Aparentava ser um bebê normal.
Karício não pode assistir ao parto, pois, contra vontade de sua mulher, foi assistir à final do campeonato brasileiro para comemorar o nascimento de seu filho. Disse que teria a vida toda para estar com Tíbio, e que o jogo seria apenas naquele dia. É, faz sentido.

Alguns meses depois, Ralência ralou o joelho, que infeccionou de forma estranha. A infecção se espalhou por todo seu corpo e tiveram que sacrificá-la. Tíbio não ficou muito feliz com esse acontecimento, e nunca conseguiu se recuperar, emocionalmente, por completo.

Karício era um homem um tanto simples e de hábitos grosseiros. Cuidou de Tíbio da maneira que pode. Ia muitas vezes por semana a um prostíbulo perto de sua casa, e como não tinha dinheiro para pagar uma babá, levava Tíbio com ele.

Tíbio cresceu indo a este prostíbulo com muita frequência e quando tinha 2 anos de idade, sentiu pela primeira vez vontade de utilizar esses serviços.

Ele engatinhou até uma bela prostituta que ele já observava há alguns dias e disse:
"Vamos para o seu quarto. Quero brincar".
As prostitutas daquela casa de massagens já o conheciam e gostavam de brincar com Tíbio, mas desta vez, Tíbio queria uma brincadeira diferente.

Eles entraram no quarto da escolhida, Sleia.
"Tira a minha fralda". Sleia achou engraçado e obedeceu o comando. Quando retirou a frauda de Tíbio pode sentir um suave aroma de talco e não pode deixar de notar o pequenino pênis ereto.

"Haha, que bonitinho", pensou Sleia.
"Quero trepar", disse Tíbio.

-!?!?!?!?? Como assim??"
-Isso mesmo que você ouviu.
-Mas você é um bebê! Nunca tinha ouvido falar de bebês que querem fazer sexo.
-Sim, eu sou um bebê diferente, você sabe. Sempre vivi em puteiros, acho que já está na hora de eu começar a aprender sobre as coisas da vida.
-Mas o seu pintinho é muito pequeno ainda! Não da pra transar, tem que esperar alguns anos, pra ele ficar dum tamanho razoálvel.
-Não, importa, me satisfaça da maneira que puder.

Então Sleia satisfez Tíbio da maneira que pode, mas não iremos entrar em detalhes técnicos, por este não ser um texto de natureza pornográfica, ainda mais hoje em dia que a pedofilia é um assunto tão comentado e combatido na internet, não quero arriscar ter meus bens confiscados, minha liberdade de expressão suprimida, nem ter meus pensamentos monitorados por computadores biônicos que leem meus pensamentos, filtrando os que eles acharem necessários, e deixando passar apenas os que forem politicamente corretos.
Por isso cada um irá (ou não) utilizar sua imaginação para definir que tipos de atividades foram realizadas dentro daquele quarto de bordel. Talvez algumas pessoas se adiantem e digam que é óbvio, que como seu dito cujo era muito pequeno, ela o satisfez utilizando os dedos de seus membros superiores (é bom especificar, já que agrada a algumas pessoas o uso dos membros inferiores para fins diferentes que os de locomoção ou esportivos), ou então a sua cavidade oral, ou até mesmo da morada de suas glândulas mamárias, por que não?
Mas isso não é nada óbvio. Você se lembra da época que era bebê? Dos seus desejos? Seus anseios? Da sua sexualidade nessa tenra época de sua vida? Provavelmente não. Por isso, não podemos assumir o que Tíbio realmente esperava de Sleia. Que troca gostaria que realizassem juntos.
Mas se pudéssemos entrar na mente de um bebê, é possível que seu desejo fosse parecido com o que Tíbio pediu para Sleia.

Voltando à história:

-Não, importa, me satisfaça da maneira que puder - disse Tíbio.
-E como posso fazê-lo?
-Sinto falta de minha mãe. Muita falta. Sonho com ela todos os dias. Gostaria de poder sentir minha mãe de novo. Queria ter a sensação de tocá-la, e amá-la.
-Sinto muito, não sei como posso te ajudar nisso!
-Eu sei como.

Então Tíbio pediu que Sleia tirasse a roupa, e que abrisse as pernas, o máximo que pudesse.
Então, para a surpresa de Sleia, Tíbio engatinhou para dentro de sua vagina, como um animalzinho que entra em sua toca quente e confortável. E ele ficou ali durante uns 15 minutos. Curtindo o útero, aquela umidade, aquele calor e aquela sensação de ter voltado para casa.

Sleia estava um tanto surpresa com esse acontecimento, mas não se importou. Depois dos 15 minutos, Tíbio engatinhou para fora e lhe deu R$50.

-É isso que você cobra por 15 minutos, não é?

50 comentários:

Philip Rangel disse...

vo cobrar com juros....hehehhee

revisando aki..como vc consegue em...???
gostei Daniel

pacheco disse...

wow, muito bom. Em vários momentos achei que o texto fosse ficar ruim, mas ele não ficou...

pacheco disse...

O final me lembrou uma cena do "fale com ela", do Almodovar..

Hosana Lemos disse...

coitada da vagina dela! o.o
um bebê de 2 anos! deve ter doído hein? ;p
.

Gêsa disse...

Caramba, muito criativo. Ri demais. Amores efêmeros dois é o meu predileto. Que talento pra inventar nomes estranhos. :)

Aninha disse...

Meooo adorei!!!
Ri mto!
Estava precisando rir...
Nem preciso dizer que se vc fizer mais amores efêmeros eu vou adorar! hehe

vlw por comentar lah no blog!

bjinhos*/~

Desi disse...

contorcionista, HAHAHAHAHAHA eu ri. :)

bjos.

p.s.: quero tempo pata ler os outrso dois e prediletar(isso existe?) um.

Carol Duca. disse...

Muito bom Rafa, como tudo que você escreve.
Terça é meu aniversário, seria muito pedir de presente um texto para mim ?

Sorte.

Henrique Miné disse...

u.ú

final supreendente...é cara, pegou todo mundo nessa.
haha.

Abraços.

gabriela m. disse...

eu ri na divagação toda ali no meio do texto;

confesso que me assustei com a ideia de voltar pro útero. quando Tíbio falou que sentia falta da mãe, eu pensei que ele ia pedia pra mamar (juro como que pensei...);

de qualquer forma, foi engraçado, como os textos que você faz.
eu gosto um bocado :D

Maya's disse...

Ahhh texto estranhamente legal, quer dizer eu fiquei com pena da vagina da mulher e achei meio estranho a conciência que a criança tinha ja com 2 anos, mas mesmo assim eu adorei muito esse texto!

Nara Sales disse...

MUITO BOM!

Prixty disse...

auheahea. mas não é japonesa, é taiwanesa. xD
mas enfim, detalhes. :P



http://www.p-helloworld.blogspot.com

disse...

Rafa,
Que viagem!!!rss.. :P

Lembrei-me de "Macunaíma"...loucuras das mentes férteis...mas, gostei demais...se 'Amores efêmeros' terminar com essa trilogia, crie outras trilogias...vamos bombar seu blog, com certeza, pois, vc é demais!!!

Bjoss, meu lindo!! :***

Aninha disse...

Tem selo pra vc lah no blog!

=)

bjinhos*/~

Débora Andrade disse...

Caramba Rafa (não sei se posso chamá-lo assim :$ ), que lindo o seu comentário lá *-* Nossa, fiquei emocionada, quase apaixonei, DOIASJDOJOIDJAS'
E amei o 'Amores Efêmeros 3', caraca, muito engraçado, e surpreendente, imaginação fértil ein? Enfim, você escreve maravilhosamente bem. Bom, vou correndo ler o 1 e o 2. (:

Favoritei, obviamente :D

beeeijo :*

☆ Sandra C. disse...

realmente.. como vc consegue?
nossa senhora, menino!
me tirou o folego esse texto.

ESTOU SURPREENDIDA!

T disse...

vou passar com mais calma pra ler os links certinho.mas esse texto :O

lydia. disse...

adoro vim aqui e dar umas boas risadas

Los Bife disse...

Engraçado, adorei o texto, mas não achei engraçado...

O que Cintila em Mim disse...

Te achei na minha caixa de poemas. Estavas numa folha solta, sozinho.

Obrigada pela visita.

Isabela disse...

Ooi, acabei de arrumar o vídeo no blog, vamos ver se agora funciona! (:

A propósito, ótimo aqui!
beijoo.

Daniela Filipini disse...

Criativo demais! É disso que eu gosto :p

Érica disse...

Meu filho, você é um ótimo ficcionista, to muito impressioanada. Uma mente David Lynchiana, inclusive eu assiste um filme chamado, "A cidade dos Sonhos", que a viagem era a mesma. Assiste, vai ser inspirador pra voce. Muito bom.
Beijos

Anna disse...

Tá, esse foi o mais bizarro de trilogia, conseguiu superar o do garoto com o iPod. Mas eu me diverti.
beijos

Nessa disse...

Açaí eu nunca vi vendendo lá mesmo...rsrsrs
Mas tem outras coisas legais...se bem que a maioria é pra mulher né...rsrsrs

Bjosss!

Jac C. disse...

Oi,
Bem interessante e original seu blog.
Temos o DogMas em comum.
Obrigada pela visita ao "AsAs" e esteja a vontade para voltar.

Abraços perfumados e bom fim de semana!

Jac
http://abcdejac.blogspot.com

Ray Siq disse...

kkkkkkk
adoro d+
rio horrores!!

e adoro os nomes exóticos dos personagens! rsrs
Beijoo :*

Carolda disse...

Você e sua criatividade para criar nomes... Karício e Ralência foram, com certeza, um casal peculiar. Assim como seus textos.
Final interessante, aliás.
;*

Poetíssima disse...

Eu estava precisando ler algo assim.
Incrível.
Parabéns!

Abraços!

pedrolago disse...

Fala rapaz, estamos aí.
abraços
Pedro Lago.

SILVANA PEDRINI disse...

Artigo novo no blog:

http://transtornobipolar2009.blogspot.com/

te espero lá!

PORQUE SAÚDE MENTAL MERECE ATENÇÃO!

ABRAÇOS

Philip Rangel disse...

haha contorcionista mesmo...coitada dela..

kaokapoakoapkaa

abraçao

Carla P.S. disse...

Hahaha... Se levar pro mundo abstrato, das metáforas, tá genial...
Tu escreve bem, e tem senso de humor. E é bemmm louco. Legal.
Beijos, e um café.

Hadassah disse...

Gostei rs ;p
Adorei a maneira como foi escrito.

boa semana! bjs

Larissa Cruz disse...

Domer!
Boa Semana
Bjus
Volte sempre!

Camila disse...

voce me deixou muito confusa com seu comentário sobre a foto que é realmente uma foto hahaha
mas depois de ter lido umas 3 vezes eu entendi !=)

bjoo

CátiaSofia disse...

Achei linda a história, me surpreendeu muito mesmo, pela positiva^_^

Nem sempre as pessoas procuram e pagam a outras para ter sexo mas sim procuram amor.

Gostei do texto.

Peço desculpa pela minha ausência, beijo.

Jamile Mercês disse...

Nossa, você arrasando como sempre com as palavras Rafael, parabéns.

Fabricante de Sonhos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabricante de Sonhos disse...

Menino!

Adorei!!!
Parabéns pela criatividade e ousadia!
Um texto irreverente, inteligente e totalmente contemporâneo!

Sem contar as ótimas imagens, as figuras de linguagem, o contexto e a mensagem!!!

Adorei mesmo!!!

Tenha uma semana de LUZ!!!!

Ah! Feliz dia do AMIGO!!!!

Beijão nesse coração bonito!

A n i n h a a disse...

Adoro, adoro, adooooro o que vc escreve.
é natural, espontâneo;

beiijos!

ps. nossa, a dama de companhia é meio carinha, né? hasuhasuhaushas

Philip Rangel disse...

Todos os dias deviam ser DIA DOS AMIGOS...

pois eles que fazem nossa historia...

por isso eu e em nome do Entrando Numa Fria venho desejar essa amizade que vc vem nos passando a tempos...

grande abraço

Nadja Reis disse...

Gostei daqui...



você escreve bem...


:)

Scarlet disse...

Ahh, uma visita sua outra vez!
Inesperado! Legal, andei meio sumida.
Adorei seu texto sobre Clunsti hahaha muito bom.
Beijos!

Karen disse...

Olá! Vim aqui pra explicar minha ausência... Tive uns probleminhas, e tive que dar uma reviravolta no meu blog. Tá tudo explicadinho lá no último post. Não abandonei, nem restringi o acesso de vocês não, ein! Hoje eu tô só notificando meus seguidores do novo endereço, e do novo nome. Depois volto com mais calma! Beijos e uma boa semana.

Sofih disse...

Bonito o texto...
Aposto que a maioria das pessoas imaginaram outras coisas e se enganaram no fim, que teve até um significado, ele sentia saudades...
Beijos

disse...

ficou bom, nem tenho o que dizer ahaha

Tataahzinha disse...

EU CHOREI RINDO!
Meu filho, vce tem talento, sigo isso com toda certeza!
Seu texto tá muito comédia, os nomes são super diferentes, e a história então, nem se fala!
Adorei principalmente a parte que tu diz:

'não quero arriscar ter meus bens confiscados, minha liberdade de expressão suprimida, nem ter meus pensamentos monitorados por computadores biônicos que leem meus pensamentos, filtrando os que eles acharem necessário, e deixando passar apenas os que forem politicamente corretos.'

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
muito muito bom!
;*

Marianna disse...

adorei a trilogia, gostei mais do segundo :D